Notícias em destaque

Gaeco deflagra operação "Blackout" e cumpre cinco mandados de busca e apreensão

commentJornalismo access_time02/07/2020 14:30

A Promotoria de Justiça da Comarca de Criciúma e o GAECO investigam supostos crimes contra a Administração Pública, especialmente peculato e atos de improbidade administrativa, envolvendo agentes públicos

FCF recebe a Polícia Militar para debater o retorno do futebol

commentEsporte access_time02/07/2020 07:30

Futebol está programado para voltar no dia 8 de julho

Treino no Majestoso

commentCriciúma EC access_time02/07/2020 07:30

Estádio do Tigre também passou por uma sanitização

Olimpíadas e Paralimpíadas são oficialmente adiadas

O mais tardar é que o evento esportivo aconteça no verão de 2021

comment Esporte access_time24/03/2020 - 10:00

Reportagem: Esporte / Rádio Eldorado - Foto: Divulgação COI

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, e o primeiro-ministro do Japão, Abe Shinzo, realizaram uma teleconferência nesta manhã para discutir o ambiente em constante mudança com relação ao covid-19 e aos jogos olímpicos de tóquio 2020.

Eles se juntaram a Mori Yoshiro, presidente do Comitê Organizador de Tóquio 2020; o ministro olímpico, Hashimoto Seiko; o governador de Tóquio, Koike Yuriko; o presidente da Comissão de Coordenação do COI, John Coates; Diretor Geral do COI, Christophe De Kepper; e o diretor executivo dos Jogos Olímpicos do COI, Christophe Dubi.

O Presidente Bach e o Primeiro Ministro Abe expressaram sua preocupação comum com a pandemia mundial do COVID-19, o que está fazendo na vida das pessoas e o impacto significativo que está causando nos preparativos dos atletas globais para os Jogos.

Em uma reunião muito amigável e construtiva, os dois líderes elogiaram o trabalho do Comitê Organizador de Tóquio 2020 e observaram o grande progresso que está sendo feito no Japão para lutar contra o COVID-19.

A propagação sem precedentes e imprevisível do surto viu a situação no resto do mundo se deteriorar. Ontem, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que a pandemia do COVID-19 está "acelerando". Atualmente, existem mais de 375.000 casos registrados em todo o mundo e em quase todos os países, e seu número está aumentando a cada hora.

Nas atuais circunstâncias, e com base nas informações fornecidas hoje pela OMS, o Presidente do COI e o Primeiro Ministro do Japão concluíram que os Jogos da XXXII Olimpíada de Tóquio devem ser remarcados para uma data posterior a 2020, mas o mais tardar no verão de 2021, para proteger a saúde dos atletas, todos os envolvidos nos Jogos Olímpicos e na comunidade internacional.

Os líderes concordaram que os Jogos Olímpicos de Tóquio poderiam ser um farol de esperança para o mundo durante esses tempos conturbados e que a chama olímpica poderia se tornar a luz no fim do túnel em que o mundo se encontra atualmente. Portanto, foi acordado que a chama olímpica permanecerá no Japão. Também foi acordado que os Jogos manterão o nome de Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio 2020.

content_copyAssuntos relacionados

Mais notícias de Esporte

FCF recebe a Polícia Militar para debater o retorno do futebol

commentEsporte access_time02/07/2020 07:30

Futebol está programado para voltar no dia 8 de julho

Campeonato Carioca: Flamengo entra em campo contra o Boa Vista

commentEsporte access_time01/07/2020 12:45

Confronto é valído pela quinta rodada da Taça Rio

Grêmio decide treinar na cidade de Criciúma

commentEsporte access_time30/06/2020 15:45

Em nota, o Tricolor Gaúcho colocou que o estado do Rio Grande Do Sul não vê como prioridade o futebol neste momento

Conmebol reforça ajuda financeira às Associações Membro

commentEsporte access_time30/06/2020 07:30

Os fundos serão distribuídos equitativamente entre as Associações Membros, em estrita conformidade com o Regulamento dos Fundos Evolution

CBF e clubes dialogam para definirem janelas de transferências

commentEsporte access_time29/06/2020 07:30

FIFA autorizou mudança nas datas para adequação ao cenário atípico causado pela pandemia