Notícias em destaque

Eleitos os 10 juízes

commentJornalismo access_time23/09/2020 16:05

Começa sexta-feira contagem regressiva de Moisés na cadeira

Gre-Nal em destaque na Libertadores nesta quarta (23)

commentEsporte access_time23/09/2020 08:20

Palmeiras e Athletico-PR são os outros brasileiros em campo

Treino técnico

commentCriciúma EC access_time23/09/2020 07:30

Tigre volta a compra contra o São José na sexta às 20h

Israel autoriza visita de deputada dos EUA

access_time16/08/2019 - 09:11

Revertendo uma decisão inicial em que negava visto para duas deputadas democratas dos EUA, que criticam fortemente o governo Trump e seu apoio ao país, o governo de Israel resolveu autorizar a visita da deputada Rashida Tlaib.
A deputada escreveu ao Ministro do Interior de Israel pedindo autorização humanitária para visitar seus parentes que vivem no país e, destacou especificamente a questão de sua avó na faixa dos 90 anos de idade. Rashida afirmou que não usaria a visita para fins políticos, sendo que seria uma visita de caráter pessoal. As informações foram publicadas pela imprensa de Israel hoje (16).
O governo de Israel, comandado por Benjamin Netanyahu, proibiu a visita de duas deputadas, entre elas Rashida, depois de uma mensagem no Twitter do Presidente Trump.


Convenção democrata adiada

 personAndré Abreu
access_time13/05/2020 - 07:45

A direção do Partido Democrata está realizando consultas entre os membros do partido para fazer uma convenção com menor número de participantes e em apenas um dia. A convenção é o principal evento eleitoral para os democratas quando seus candidatos a presidente e vice são lançados em campanha em todo o país.
O evento tem tradição de durar por uma semana e ter participantes de todos os estados reunindo líderes partidários de todas as grandezas.

A convenção ocorreria em julho na cidade de Milawkee no estado de Wisconsin.
Mas deve ficar para agosto com um formato que vai ter uma forte participação online.

Este é o efeito do coronavírus no sistema eleitoral norte-americano, que também teve as primárias de cinco estados adiadas para junho e julho resultando numa pressão maior para adiar a convenção nacional. Os estados são Kentucky, Louisiana, Nova York, Nova Jersey e Delaware.
Em termos de nomes o partido está definido em torno da candidatura de Joe Biden, ex-vice-presidente dos EUA durante os oito anos do mandato de Barack Obama.

Eleições nos EUA: É Biden contra Trump

 personAndré Abreu
access_time09/04/2020 - 05:31

Não foi uma decisão tomada pelos eleitores em todos os estados dos EUA. Mas desde o início das primárias ficou claro para o eleitor norte-americano que manter a candidatura de Bernie Sanders com discursos a favor de um socialismo no American way of life, ou seja, no modo norte-americano de viver, seria difícil.
E assim o foi, Bernie ganhou fôlego em alguns momentos da campanha, visibilidade, mas tinha uma agenda difícil de cumprir num país que se distingue por ser o berço do capitalismo, ainda que com grandes imperfeições.
No contexto da pandemia atual, com primárias sendo transferidas para junho, sem possiblidade de aparecer em qualquer plataforma nacional, Sanders escolheu o caminho difícil para ele e seus apoiadores, até triste para todos eles. Saiu da disputa.
Biden, político de larga experiência, no legislativo e no executivo como vice-presidente de Obama por oito anos, ocupa agora o papel central do Partido Democrata com um compromisso assumido de escolher uma mulher para o posto de vice.
A campanha à Casa Branca está definida. É Biden contra o atual presidente Trump!

Diálogo possível entre rivais políticos: Trump e Biden

 personAndré Abreu
access_time02/04/2020 - 11:05

A equipe de assesssores de Joe Biden está preparando um telefonema para o presidente Trump.
Em tempos de crise,, rivais políticos nos EUA, democratas e republicanos, deixam suas bandeiras de lado e se aliam.
Ocorreu assim durante a recuperação do furacão Katrina.
Bush, pai, e Bill Clinton saíram em campanha de fundos para reerguer Nova Orleans.
Agora, o momento de combate ao coronavírus abre a possibilidade inédita de uma linha direta entre o possível rival de Trump, Joe Biden, e o presidente norte-americano.
A iniciativa mostra que os líderes estão trabalhando acima dos interesses políticos partidários e de interesses pessoais.

Mais uma primária transferida nos EUA

 personAndré Abreu
access_time25/03/2020 - 22:09

Não, não há clima para debater política partidária nos EUA. Nem possiblidade de se cuidar de eleições.
Muito menos primárias. A Pensilvânia é mais um estado a transferir suas primárias democratas.
Do final de abril para junho, foi a decisão que os legisladores do estado acabaram de tomar.
O governador democrata do estado já concordou em assinar a medida, aprovada pelas duas casas legislativas do estado.
Agora eu creio que só falta uma decisão do Sanders. Para fortalecer mais o partido, o senador deveria sair do páreo.
É o mais lógico a fazer no atual contexto.

Primárias democratas transferidas para junho; Sanders reavalia candidatura

 personAndré Abreu
access_time24/03/2020 - 07:16

O calendário das primára.ias do Partido Democrata está sendo adiado. As últimas primárias aconteceram na semana passada.
A força de Joe Biden foi revelada nas urnas.
O ex-vice-presidente está à frente no número de delegados, tem nome forte entre os eleitores democratas e disponta como favorito. Por tudo isto, o senador Sanders reavalia se deve continuar fazendo campanha. Sem contar o fator coronavírus.

Enquanto isso, cada estado com primárias agendadas em março ou abril adia para junho.
Connecticut, Indiana, Maryland e Ohio farão em 2 de junho, A Geórgia adia para maio.
Kentucky e Louisiana para o final de junho.

Com a maioria das primárias adiadas, a única questão que fica no ar é quanto tempo Sanders vai ficar na disputa.
Tanto Biden quanto Sanders vivem um período de incertezas na campanha. Em tempos de crise nacional, qualquer crítica ao presidente Trump vai precisar estar bem fundamentada, pois o risco de que o eleitor norte-americano a interprete como oportunismo político pode facilitar a reeleilçao do atual ocupante da Casa Branca.

Biden ataca reação de Trump ao coronavírus

 personAndré Abreu
access_time13/03/2020 - 07:11

WILMINGTON, Estados Unidos (Reuters) - Joe Biden, o pré-candidato presidencial democrata que lidera as pesquisas nos Estados Unidos, criticou duramente a reação do presidente republicano Donald Trump ao surto de coronavírus nesta quinta-feira, acusando-o de ter um "relacionamento antagonístico com a verdade" e de ignorar conselhos científicos.

"Infelizmente, este vírus desnudou as limitações graves do governo atual", disse Biden em um discurso de 20 minutos em seu Estado natal de Delaware.

O discurso vespertino do ex-vice-presidente ocorreu pouco menos de 16 horas depois de Trump fazer seu próprio pronunciamento na Casa Branca, e visou dar aos norte-americanos um vislumbre de como ele lidaria com uma crise internacional como presidente.

Na noite de quarta-feira, Trump anunciou uma proibição de viagens de 30 dias da Europa continental aos EUA e prometeu medidas de estímulo econômico, prometendo conter a pandemia.

Mas os mercados financeiros globais já combalidos voltaram a despencar nesta quinta-feira. Os índices de ações dos EUA recuaram 7% no pregão da tarde, confirmando que Wall Street está em tendência de queda.

Biden assumiu o controle da batalha com o senador Bernie Sanders, do Vermont, pela indicação democrata depois de vencer ao menos quatro das seis primárias estaduais de terça-feira.

Sanders planejava fazer seu próprio discurso na noite desta quinta-feira para abordar o surto de coronavírus.

Em uma crítica áspera à reação do governo, Biden atacou Trump pelas ações que adotou e ao mesmo tempo o culpou por não fazer mais para enfrentar a crise cada vez maior.

Observando que Trump chamou a doença de "vírus estrangeiro" na quarta-feira, Biden alertou para a "xenofobia" e disse que o coronavírus "não discrimina com base em origem nacional, raça, gênero ou código postal".

"Proibir todas as viagens da Europa ou qualquer outra parte do mundo pode desacelerá-lo, mas, como vimos, não o deterá."

Biden também delineou seu próprio plano para lidar com o surto, o que incluiria licenças emergenciais pagas para trabalhadores e exames de diagnóstico gratuitos e amplamente disponíveis.

Em resposta, a campanha de reeleição de Trump defendeu as ações do presidente e acusou Biden em um comunicado de tentar "capitalizar politicamente e atiçar os temores dos cidadãos".

(Por Trevor Hunnicutt e John Whitesides em Washington; reportagem adicional de Steve Holland, Susan Heavey e Jason Lange)

Biden tem 566 delegados contra 501 de Sanders

 personAndré Abreu
access_time04/03/2020 - 21:40

Biden venceu em 9 dos 14 estados onde os democratas realizaram primárias na chamada Super Terça, superando as expectativas.

Ele não somente conquistou os Estados do sul do país em que se esperava que vencesse, mas também Massachusetts, Minnesota e Texas, onde não se previa que se saísse tão bem.

Biden também impressionou na Califórnia, já que no geral conseguiu centenas de delegados para a Convenção Nacional Democrata de julho, que decidirá o indicado presidencial do partido.

A série de vitórias sublinhou enfaticamente que a campanha de Biden, até recentemente dada como encerrada devido aos revezes nas primárias iniciais, está recuperando ímpeto rapidamente. O establishment democrata o está acolhendo por apostar que o pré-candidato mais moderado é mais elegível do que Sanders, um autodeclarado democrata socialista com propostas liberais ambiciosas.

Para Biden, trata-se de uma ascensão quase atordoante que começou no sábado, quando ele obteve sua primeira disputa pela indicação na Carolina do Sul e uma leva de declarações de apoio importantes.

Biden e Sanders se fortalecem para as primárias da Super Terça

 personAndré Abreu
access_time01/03/2020 - 01:06

O ex-vice-presidente e agora pré-candidato ao posto político máximo dos EUA Joe Biden foi o vencedor das primáras da Carolina do Sul. A vitóra mostra a capacidade de recuperação de Biden, que se saiu muito mal nas primeiras prévias do Partido Democrata.
Também mostra que em eleitorados mais pluralizados Biden tem chances maiores de vencer, e que Sanders lidera em estados mais homogêneos,

Temos um progressista que faz propaganda do Socialismo, embora em um modelo norte-americano, contra um moderado. Os dois têm experiência de campanhas de sobra. O Senado sempre foi a casa de Sanders e de Biden, que no modelo dos EUA acumulava o cargo de vice-presidente e presidente do Senado no mandato de Obama.

E o candidato Bloomberg? Não teve seu momento ainda. Participou apenas de um debate. Não participa das primárias, Entrou muito tarde na disputa.

Sanders e Biden partem fortes para conquistar mais delegados na Super Terça. Vão tentar vencer em mais estados.

Sanders vai tentar convencer de que a sua vez chegou. Biden deve pisar no acelerador da campanha até terça, sabe que um espaço perdido pode representar vantagem para o senador de Vermont, o bom velhinho da campanha.

Consulado italiano convoca 3 mil na fila de espera

 personAndré Abreu
access_time18/02/2020 - 08:24

De acordo com o comunicado oficial do Consulado da Itália em Curitiba, que atende os estados de Santa Catarina e Paraná, os interessados inscritos desde o número 48.001 até 51.000 na lista de espera para o reconhecimento da cidadania italiana devem apresentar a documentação de acordo com as instruções disponíveis em um roteiro uniforme.

O roteiro pode ser conferido aqui.

A documentação referida acima deve ser acompanhada dos modelos 7 (clique aqui) e 8 (clique aqui), e deverá ser apresentada no Consulado de Curitiba até o dia 17.08.2020.

Conforme o comunicado, os convocados deverão se apresentar sem a necessidade de prévio agendamento, exclusivamente nas segundas-feiras das 14h às 17h15, terças-feiras das 9h às 12h30 e quartas-feiras das 9h às 12h30.

O pagamento da taxa consular de 300 euros, equivalente a 1.238 reais, poderá ser feito nas seguintes modalidades:

  • com cartão de débito no consulado;

  • por depósito em qualquer agência do banco Santander, imprimindo o boleto de pagamento (clique aqui), e preenchendo o campo “código identificador de depósito” com a própria data de nascimento (formato dd/mm/aa);

  • em caso de impossibilidade de pagamento nas modalides acima, serão aceitas transferências através de home banking (TED) para o Banco Santander 033, Ag. 4524 Conta Corrente 130000982, beneficiário Consulado Geral da Itália, CNPJ 03.857.327/0001-72.

Será necessário apresentar o comprovante com o CPF do titular da conta anotado.

Os interessados que desconhecem seu número na lista de espera poderão enviar um email ao endereço curitiba.convocazioni@esteri.it para solicitá-lo indicando nome e sobrenome completo, local e data de nascimento.

Vitória de Sanders em New Hampshire

 personAndré Abreu
access_time12/02/2020 - 06:59

O senador Bernie Sanders venceu as eleições primárias do Partido Democrata no estado norte-americano do New Hampshire com 26% dos votos, confirmando o favoritismo das sondagens e o seu estatuto de figura principal na ala mais à esquerda do partido. Mas os bons resultados de dois candidatos do centro, Pete Buttigieg (24,4%) e Amy Klobuchar (19,7%), mostram que os eleitores estão ainda longe de se unirem à volta de um nome para enfrentar Donald Trump nas eleições presidenciais de Novembro.

Numa corrida com oito candidatos em campanha ativa, ninguém esperava que Sanders dominasse as primárias do New Hampshire, este ano, de uma forma tão evidente como o fez em 2016 – nessa altura, o senador do Vermont recebeu 60% dos votos e deixou Hillary Clinton a 22 pontos percentuais de distância. “Este é o início do fim de Donald Trump”, reagiu Bernie Sanders, de 78 anos, perante os apoiantes em New Hampshire.

O grande derrotado da noite foi, mais uma vez, o antigo vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden, que até há poucas semanas era apontado como o grande favorito a vencer a corrida pela nomeação.

Depois de ter ficado em 4.º lugar no caucus do Iowa, há uma semana, Biden ficou em 5.º no New Hampshire (8,4%) e tem a vida cada vez mais difícil nas primárias do Partido Democrata.

Trump absolvido pelo Senado

 personAndré Abreu
access_time05/02/2020 - 19:12

Trump acaba de ser absolvido no processo de impeachment.

Os senadores dos EUA votaram a favor de liberar Donald Trump sob acusações de impeachment na quarta-feira, concluindo o julgamento no Senado sobre suas negociações com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy.

O presidente dos EUA foi acusado de pressionar Zelenskiy a investigar o ex-vice-presidente dos EUA e potencial rival das eleições Joe Biden, e seu filho Hunter, e reter a ajuda aprovada pelo Congresso para a Ucrânia enquanto se aguardava o anúncio da investigação.

O Senado de maioria republicana votou 52 a 48 para liberar Trump da primeira acusação, abuso de poder. A segunda acusação, obstrução do Congresso, também foi rejeitada com 53 senadores votando "não culpado".

A votação seguiu em grande parte as linhas partidárias. Os democratas precisavam de uma maioria de dois terços para remover Trump do cargo.

O senador de Utah, Mitt Romney, votou pela condenação de Trump, tornando-se o único senador republicano a romper as fileiras do partido na fase final do julgamento.

Estado de Iowa dá a largada para a corrida à Casa Branca

 personAndré Abreu
access_time03/02/2020 - 13:14

As primeiras prévias que ajudarão a definir os candidatos para a Casa Branca acontecerão hoje.

Eleitores do estado de Iowa escolherão seus candidatos para presidente. Enquanto o campo parece claro na seara republicana, os democratas têm onze nomes na disputa.

Iowa irá apontar as chances de cada democrata e definir as futuras apostas dos eleitores, que além de seus votos em cada estado, podem contribuir financeiramente para a campanha de seu candidato.

O ex-vice-presidente Biden durante o mandato de Barack Obama, a senadora de Massachusetts Elizabeth Warren e o senador Bernie Sanders, representante de uma ala mais à esquerda do partido democrata, deverão mostrar sua força neste estado do Meio-Oeste, onde carne de boi e suínos são sinônimos da economia local.

Suspeita de coronavírus deixa milhares de passageiros retidos em cruzeiro italiano

 personAndré Abreu
access_time30/01/2020 - 09:24

Cerca de 6 mil pessoas estão retidas a bordo de um cruzeiro italiano enquanto dois passageiros chineses são testados por suspeita de coronavírus, disse um porta-voz da empresa Costa Cruzeiros nesta quinta-feira.

O casal chinês chegou à Itália em 25 de janeiro e, no mesmo dia, embarcou no navio Costa Smeralda, no porto de Savona. Em seguida, os dois passageiros se sentiram mal, apresentando febre e dificuldades respiratórias.

O cruzeiro já havia visitado Marselha, na França, e os portos espanhóis de Barcelona e Palma de Mallorca nesta semana antes de atracar em Civitavecchia, a norte de Roma, nesta quinta-feira.

Ninguém tem permissão para desembarcar do navio enquanto exames médicos são feitos para avaliar se o casal é portador do coronavírus, disse um porta-voz da companhia marítima.

Ele acrescentou que a situação pode demorar "algumas horas" antes de ser esclarecida.

Nesta quinta-feira, alguns países começaram a isolar milhares de cidadãos que deixaram a cidade chinesa de Wuhan, uma medida para impedir a propagação do vírus, que já matou 170 pessoas na China.

Regras definidas para impeachment de Trump

 personAndré Abreu
access_time22/01/2020 - 07:27

A sessão do Senado que debateu as regras do processo de impeachment acabou após as 2h da manhã de quarta-feira (22), 4h da manhã no horário de Brasília. Os senadores republicanos conseguiram barrar 11 tentativas de convocação de testemunhas para deporem no plenário, e também barraram a intimação de novos documentos da Casa Branca.

Oito deputados federais representarão a acusação, e outros oito representarão a defesa no Senado, que são os jurados. O processo é conduzido pelo presidente da Suprema Corte dos EUA, John Roberts Jr.

Foram quase 13 horas de debate para definir as regras do processo de impeachment.

As regras do julgamento estão definidas: O Senado votou nas linhas do partido para aprovar a resolução do líder da maioria do Senado, Mitch McConnell, sobre as regras.

O primeiro rascunho de McConnell foi controverso: o Senado começou a debater as regras do julgamento depois que o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell (foto), revelou sua resolução na noite passada. O esboço daria a cada lado 24 horas - ao longo de dois dias - para apresentar argumentos de abertura e disse que as evidências de impeachment contra Trump da Câmara não seriam admitidas sem votação. Os democratas criticaram as regras, dizendo que elas estariam escondendo o comportamento do presidente Trump, e houve até algumas preocupações dos republicanos.

Mas houve uma mudança de regras de última hora: McConnell mudou silenciosamente a resolução na terça-feira (22) antes de ser lida em voz alta no plenário. A nova resolução concede a cada lado três dias para apresentar suas 24 horas de argumentação e diz que as provas serão admitidas automaticamente, a menos que haja uma moção da equipe do presidente para descartá-las.

Havia muitas propostas de emenda à resolução: os deputados da Câmara e a equipe de defesa da Casa Branca tiveram tempo de discutir sua posição sobre a resolução. Depois disso, o líder da minoria do Senado, democrata Chuck Schumer, protocolou 11 emendas. Cada uma delas foi rejeitada por maioria de votos em um Senado sob controle republicano.

Crédito da foto: dpa.

Nevasca bate recorde no Canadá com 93 cm de neve

 personAndré Abreu
access_time20/01/2020 - 13:47

Uma nevasca cobriu fortemente as ruas da capital da província de Terra Nova e Labrador, no Canadá.
A neve chegou a mais de 80 cm em várias localidades da ilha,
No sábado (19), os negócios ficaram fechados e todos os veículos foram proibidos de circularem.
Os moradores ainda estão retirando a neve ao redor de suas residências.
A nevasca foi considerada histórica pela acumulação de neve registrada.