Notícias em destaque

  Prefeitos reagem ao pedágio

commentJornalismo access_time23/01/2020 11:11

Murialdo Gastaldon (Içara) e Clésio Salvaro (Criciúma) apoiam pedido de paralisação da privatização da BR-101 Sul

Definidos grupos e tabela da Copa Sul dos Campeões 2020

commentEsporte access_time25/01/2020 14:45

A primeira rodada será disputada dia 8 de março

Luiz deixa o Criciúma

commentCriciúma EC access_time25/01/2020 13:50

Goleiro realizou acordo com o clube para sair amigavelmente

Relações mais fortes com a China

access_time26/10/2019 - 19:58

Fonte: Produção

O jornal China Daily traz o Presidente Bolsonaro na capa junto com o Presidente chinês Xi Jinping e traz a manchete "Laços mais fortes com o Brasil".
Segundo a matéria, Xi Jinping declarou que gostaria de expandir a cooperação com o Brasil em áreas como energia, agricultura, aeroespaço e infraestrutura, além da mineração.
Na visão chinesa, a cooperação prática entre os dois países deve trazer benefícios para os dois povos. A China, afirmou, gostaria de importar mais produtos de alto valor agregado e de alta qualidade do Brasil.
A China procura manter junto com o Brasil a agenda multilateral se opondo ao protecionismo de mercado e promovendo um desenvolvimento inclusivo sustentável.
Os dois presidentes assinaram um número de acordos de cooperação após conversas. O Presidente chinês destacou o papel do Brasil como país emergente e salientou que a perspectiva da China com relação ao Brasil não mudou.

O Presidente Xi Jinping expressou gratidão pela carta do Presidente Bolsonaro no aniversário de 70 anos da República Popular da China.


"Dia histórico na Itália"

 personAndré Abreu
access_time14/01/2019 - 12:36

O ex-terrorista Cesare Battisti chegou pontualmente às 11h36 desta manhã (14) no aeroporto de Ciampino, segundo o jornal italiano Corriere della Sera. À sua espera, estavam o ministro do Interior, o vice-primeiro-ministro Matteo Salvini e o ministro da Justiça, Alfonso Bonafede, com quem Battisti, quie desceu do Falcon 900 sem algemas, não teve contato algum.
A polícia preparou a recepção e a segurança para escoltar o ex-fugitivo condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos do aeroporto de Pastine até a prisão de Rebibbia, onde deve ficar preso para ser posteriormente transferido para uma prisão na Lombardia, pois o caso tramita na Justiça de Milão. Battisti deve ficar seis meses isolado em uma cela solitária.
“É uma segunda-feira histórica para a Itália e para os italianos”, afirmou o ministro do Interior Matteo Salvini, durante uma coletiva de imprensa na pista do aeroporto. Uma centena de jornalistas esperava por Battisti. Salvini afirmou pelas redes sociais que 30 mil pessoas aguardavam a chegada de Battisti.

Battisti detido na Bolívia

 personAndré Abreu
access_time13/01/2019 - 11:04

Cesare Battisti, ex-militante da esquerda condenado por quatro assassinatos na Itália na década de 1970, foi preso na Bolívia na noite deste sábado, 12 de janeiro, por uma equipe da Interpol formada por agentes italianos e brasileiros na cidade de Santa Cruz de La Sierra. Battisti era considerado foragido desde meados de dezembro do ano passado, quando o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, ordenou sua prisão preventiva.
A detenção do ex-ativista foi divulgada inicialmente nas redes sociais por Filipe Martins, assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais, e comemorada horas depois pelo presidente Jair Bolsonaro.
Ainda não foi decidido se Battisti será encaminhado de volta ao Brasil para que o Governo federal dê início ao processo de extradição, ou se será enviado à Itália diretamente da Bolívia, sob o comando do presidente Evo Morales, um dos últimos expoentes do ciclo de esquerda da década passada na América Latina.
Embora tenha comparecido à posse de Bolsonaro no início do mês em Brasília, Evo Morales sempre foi mais alinhado políticamente aos governos petistas. Em nota divulgada na manhã deste domingo, os Ministérios das Relações Exteriores e o Ministério da Justiça e Segurança Pública informaram que "estão tomando todas as providências necessárias, em cooperação com o Governo da Bolívia e com o Governo da Itália, para cumprir a extradição de Battisti e entregá-lo às autoridades italianas".

Paralisação do governo dos EUA completa 17 dias sem acordo

 personAndré Abreu
access_time07/01/2019 - 10:39

O Executivo não se acerta com o Legislativo sobre o orçamento. Basicamente, essa é a razão número um para a paralisação que já dura 17 dias. Cronologicamente, o Senado aprovou um orçamento sem verba para a construção do muro entre México e EUA. A Câmara de 2018 (com maioria republicana) rejeitou a proposta dos senadores. Na semana passada, a nova Câmara com maioria democrata aprovou novamente um orçamento sem a verba do muro para pressionar o presidente.

Trump quer 5 bilhões de dólares enquanto democratas não concordam. Nesse ponto ele continua irredutível e a paralisação segue com cerca de 800 mil funcionários do governo federal sem previsão de pagamento. O presidente norte-americano quer colocar os democratas na posição de causadores de problemas à nação, responsáveis pela paralisação. Os democratas apontam para o presidente Trump. Trump usa o Twitter enquanto a oposição usa os jornais.

Washington Post: LIBRAS interpretada como continência em foto da posse

 personAndré Abreu
access_time04/01/2019 - 12:00

O Washington Post errou ao afirmar que a primeira-dama Michele Bolsonaro fez continência em seu discurso em Brasília.
Nota: A informação já foi corrigida no site do jornal.

Reuters: Terras indígenas sob ameaça no mandato de Bolsonaro

 personAndré Abreu
access_time02/01/2019 - 11:18

Repercute internacionalmente a decisão do Presidente Jair Bolsonaro de transferir a FUNAI para o comando do Ministério da Agricultura.
Na matéria da Reuters, o destaque principal é que agora a FUNAI fica nas mãos do poderoso setor de agricultura brasileiro. Bolsonaro, segundo a Reuters, planeja abrir as reservas indígenas para a atividade comercial e, assim, de acordo com críticos, "destruirá as culturas e línguas nativas ao integrar as tribos na sociedade brasileira."
Os ambientalistas afirmam que os verdadeiros donos da Amazônia são os índios e que a Amazônia é a maior floresta do mundo vital para a estabilidade do clima.
Esse é um dos primeiros decretos do presidente Bolsonaro com repercussão internacional.

Política externa: Brasil se aproxima de Israel antes da posse de Bolsonaro

 personAndré Abreu
access_time30/12/2018 - 13:42

A julgar pelo encontro entre Bolsonaro e Netanyahu na última sexta (28), as relações entre Israel e Brasil no governo Bolsonaro deverão ser as melhores possíveis nos próximos meses. Bolsonaro, já investido na presidência do Brasil, visitará Israel antes de abril de 2019. A data limite se explica pela realização de eleições em Israel em abril devido às acusações de corrupção que cercam o primeiro-ministro de Israel.
Depois das eleições, resta saber o futuro do Likud e de seu líder Bibi (o apelido de Benjamin Netanyahu em Israel).
Uma questão-chave entre os dois países é a mudança da embaixada brasileira de Tel-Aviv para Jerusalém: será o pilar da relação. Se Bolsonaro honrar com sua palavra, os dois países se aproximarão ainda mais. Se ficar só no discurso as relações entre os dois países esfriarão.

Paralisação do governo norte-americano deve ocorrer hoje

 personAndré Abreu
access_time21/12/2018 - 19:10

A paralisação do governo dos EUA deve ocorrer se até meia-noite de hoje (21) o Executivo e o Legislativo não encontrarem um consenso. A questão do muro na fronteira com o México está dificultando um acerto entre os senadores e o presidente Trump. A Câmara fez sua parte e aprovou 5 bilhões de dólares para a construção do muro, mas no Senado os republicanos com 51 votos precisam de mais nove votos para evitar que a pauta seja bloqueada pelos democratas.
Trump se declara preparado para uma longa batalha, pois acredita que a paralisação irá ocorrer.

Museus e parques federais devem fechar para visitantes a partir do sábado. Entre os departamentos (ministérios) que deverão sofrer o impacto do shutdown (paralisação) estão: Agricultura, Comércio, Justiça e Desenvolvimento Urbano. O Departamento de Defesa será poupado, mas o Departamento de Estado também está na lista dos que necessitam da aprovação de orçamento urgente.

Será a terceira paralisação do governo Trump. O governo do democrata Barack Obama teve uma. Em todos os casos o shutdown ocorreu devido a dificuldade dos poderes Legislativo e Executivo chegarem a um acordo antes do prazo final para aprovar o orçamento, que é matéria que fica constitucionalmente nas mãos do Congresso.

Primeira-ministra do Reino Unido sobrevive voto de desconfiança

 personAndré Abreu
access_time12/12/2018 - 19:11

A primeira-ministra May venceu o voto de confiança diante do parlamento britânico esta noite. O resultado foi de 200 votos a favor de sua permanência no cargo contra 117 votos. Entre suas promessas para manter o poder, May declarou que deverá sair do cargo antes das eleições de 2022 para evitar desgaste no Partido Conservador (Tory). Passar pelo voto de confiança foi um teste de sobrevivência política que deverá dar a ela maior autoridade na condução do Brexit.

Juiz canadense solta executiva chinesa após fiança de 10 milhões de dólares

 personAndré Abreu
access_time11/12/2018 - 21:57

Um juiz canadense concedeu fiança para Meng Wanzhou, diretora financeira da Huawei, maior fabricante de equipamentos de telecomunicações do mundo.

O juiz fixou a fiança de Meng em 10 milhões de dólares.
Meng foi presa na semana passada no Canadá durante a troca de voos por suspeita de violar as sanções dos EUA contra o Irã.
Ela foi acusada de conspiração para defraudar os Estados Unidos e pode passar 30 anos na prisão se for condenada nos EUA, para onde pode ser extraditada. Os norte-americanos ainda precisam apresentar um pedido de extradição, mas ainda têm 60 dias para fazê-lo.
A prisão de Meng é protestada pelo governo da China, que no último domingo intimou o representante do Canadá e o embaixador dos EUA na China. Por ser executiva da gigante das telecomunicações chinesa, a questão da prisão está repercutindo na guerra comercial EUA-China.

Macron aumenta salário mínimo para conter coletes amarelos

 personAndré Abreu
access_time10/12/2018 - 21:40

O presidente francês Emmanuel Macron fez um discurso na TV nesta segunda-feira (10) às 20h. No discurso Macron respondeu aos pedidos dos manifestantes “coletes amarelos”. O chefe de Estado fez importantes anúncios , entre os quais um aumento de 100 euros no salário mínimo, mas se recusou a voltar atrás em sua decisão de abolir o Imposto de Solidariedade sobre a Fortuna (ISF).

O Imposto de Solidariedade sobre a Fortuna é uma das principais demandas dos “coletes amarelos”. No entendimento de Macron durante 40 anos, o imposto existiu, mas os mais ricos iam embora e a França ficava mais pobre. O fim do ISF garante mais empregos no país, argumentou o presidente francês em seu discurso.

China exige que executiva de multinacional detida no Canadá seja solta

 personAndré Abreu
access_time09/12/2018 - 20:33

A China intimou o embaixador dos Estados Unidos para protestar contra a prisão da CFO, executiva-chefe de finanças, da gigante de telecomunicações da Huawei no Canadá e exigir que os EUA retirem seu pedido de extradição.

A prisão de Meng Wanzhou, que é acusada de fraude pelos EUA relacionada a negociações com o Irã, violando sanções atuais contra o país, enfureceu Pequim, gerando tensões em meio a uma trégua entre a China e os Estados Unidos.

Meng, filha do fundador da Huawei, está em detenção enquanto espera a decisão de uma corte canadense sobre sua fiança amanhã (10).

O legado de Bush

 personAndré Abreu
access_time02/12/2018 - 12:03

No dia 2 de dezembro de 1989, o então Presidente Bush (falecido ontem aos 94 anos) se encontrou com o líder soviético Mikhail Gorbachev para discutir o desarmamento nuclear e o fortalecimento das relações entre os EUA e a Rússia (URSS). Os dois chefes de Estado declararam o fim da Guerra Fria.
O legado de George H.W. Bush nas relações internacionais entre os dois países permanece até hoje. No encontro do G20, a chanceler alemã Angela Merkel destacou o papel de Bush na condução de uma política internacional que levou à reunificação alemã.
Na área militar, o Presidente Bush se posiciona como o único ocupante da Casa Branca que declarou acertadamente o fim de uma guerra. Para Bush, a missão no Iraque estava cumprida com a retirada das tropas iranianas do Kwait.
A maior lição de Bush foi ensinar aos futuros presidentes que uma guerra tem uma missão e um fim. Uma lição que não foi aprendida pelos líderes que o seguiram.

Os encontros e desencontros dos líderes do G20 em Buenos Aires

 personAndré Abreu
access_time30/11/2018 - 19:57

Os países divergem em questões como comércio, clima e política de segurança, e não se sabe ainda se a cúpula vai conseguir sequer chegar a uma declaração conjunta. Conversas bilaterais também não avançam em Buenos Aires.
Antes de a cúpula do G20, grupo que reúne os 19 países industrializados e emergentes mais importantes do planeta mais a União Europeia, iniciar a sua primeira sessão de trabalho, nesta sexta-feira (30/11) em Buenos Aires, os chefes de Estado tiveram a oportunidade de bater um papo numa relaxada mesa de café.

Câmeras e microfones não foram permitidos durante a conversa informal. No entanto, um porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, disse que seu chefe iria aproveitar a oportunidade para trocar algumas palavras com o presidente Donald Trump, embora este tenha cancelado uma esperada reunião com o chefe do Kremlin, ainda antes de sua partida de Washington para Buenos Aires nesta quinta-feira. O motivo seria a agressão russa contra a Ucrânia no Mar de Azov ocorrida durante o último final de semana.

Pelo menos oficialmente, os presidentes falariam na reunião sobre a ameaça de Trump de sair do acordo de controle de armas, que proíbe que mísseis de médio alcance sejam equipados com ogivas nucleares. Trump acusa a Rússia de violar o acordo, o que Putin nega veementemente.

Buenos Aires recebe cúpula do G20

 personAndré Abreu
access_time30/11/2018 - 10:32

Buenos Aires está blindada pelo recebimento da cúpula do G20, o encontro das 20 maiores economias mundiais. OUÇA:

Quanto ganha um professor na Alemanha?

 personAndré Abreu
access_time24/11/2018 - 11:35

Na Alemanha, a imagem de estabilidade profissional e financeira costuma atrair pessoas para a profissão de professor ou professora. Em geral, o docente é funcionário público e, por isso, ocupa um posto praticamente imune a crises, os horários de trabalho e o direito a férias podem facilitar muito a administração da carreira e da vida em família, e há formas variadas para se exercer a função.

Mas, o principal motivo para começar uma carreira na área da educação no país europeu costuma ser o salário. Conforme o relatório da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgado em setembro, profissionais alemães que atuam no ensino secundário recebem 54 mil euros anuais – quase o dobro da média da OCDE e o equivalente a uma renda mensal bruta de 4.500 euros (ou quase R$ 19 mil). O salário líquido tem leves variações dependendo do estado federado onde o professor atua, mas em geral totaliza 2.600 euros por mês (o equivalente a mais ou menos R$ 11 mil).

Contudo, a boa colocação em estudos comparativos internacionais não revela se um professor é bem pago na comparação com categorias profissionais equivalentes dentro de seu país. "Muitos docentes de exatas no ensino médio podem migrar para o setor privado", constata Heinz-Peter Meidinger, presidente da Associação Alemã de Professores.

Comparando dentro do contexto europeu, os professores alemães também estão entre os que mais gastam tempo para preparar as aulas. Condições de trabalho difíceis e a atuação em escolas em áreas economicamente desfavorecidas acabam desmotivando muita gente a ingressar na carreira, afirmam especialistas ouvidos pela rádio alemã DW.