Notícias em destaque

  Fotos na Climaterra

commentJornalismo access_time08/05/2021 10:00

Confira

Mudanças são feitas na tabela do Catarinense Série A

commentEsporte access_time06/05/2021 07:30

As finais devem acontecer nos dias 23 e 26 de maio

Tigre segue os treinamentos no CT

commentCriciúma EC access_time07/05/2021 07:30

Time Carvoeiro terá três jogos treinos antes de estreia na Série C

Blog Clássicos, com Everaldo Belada

Como nossos pais - O clássico de Belchior, lançada no álbum "Alucinação" na voz de Elis Regina.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time05/05/2021 - 12:12

Uma canção composta por Belchior, lançada no álbum "Alucinação", de 1976, é considerada um dos maiores clássicos da música brasileira.

A música que foi composta em meio à Ditadura Militar, com uma letra que retrata a desilusão de uma juventude reprimida, mas também fala de esperança e luta por mudanças foi: "Como nossos pais".

Quero mostrar a releitura que fez grande sucesso na voz de Elis Regina, gravado no aclamado álbum "Falso Brilhante", também no ano de 1976.

Vamos ouvir este clássico imortal da MPB na voz da musa Elis Regina, considerada por muitos criticos como a melhor cantora popular brasileira de todos os tempos. CONFIRA:

Rocketman - O clássico de Elton John que acabou virando um filme biográfico em 2019, baseado em sua vida.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time04/05/2021 - 12:02

O londrino Elton John, um dos artistas mais bem sucedidos da história, que já vendeu 300 milhões de discos, lançou em 1972, o álbum "Honky Château" com uma canção que está classificada pela revista Rolling Stone entre as 200 melhores músicas de todos os tempos.

O clássico de Elton John que acabou virando um filme biográfico, em 2019, baseado em sua vida foi: “Rocketman”.

"Rocket man” foi baseada no livro “The Illustrated Man”. A letra da música descreve os sentimentos de um astronauta em marte que deixou a família pelo trabalho.

"Rocket man” tornou-se um hit mundial alcançando a 2ª posição na lista das mais pedidas na Europa e nos Estados Unidos.

Vamos ouvir “Rocket man” com o cantor e compositor brasileiro John Kip, que é famoso no Brasil e no Exterior com o seu repertório em inglês. John Kip já é referência por ter emplacado três músicas em trilhas sonoras de novelas e "Rocket man" foi destaque da novela “Tempos Modernos” de 2011. CONFIRA:

Night fever - O clássico do Bee Gees que foi trilha sonora do filme “Os embalo de sábado á noite” estrelado por John Travolta.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time03/05/2021 - 09:50

Em 1978, o Bee Bees, lançou uma canção Disco Music, incluída no álbum “Saturday Night Fever”, que está entre os cinco discos mais vendidos da história da música.

O clássico gravado pelos Irmãos Gibb e que foi trilha sonora do filme “Os embalo de sábado á noite” estrelado por John Travolta chama-se:** “Night fever”.

"Night fever" ficou na primeira posição na Billboard Hot 100 por mais de dois meses. A canção ocupa a 30ª posição na lista das 100 melhores canções de todos os tempos. "NIght fever" foi a música mais tocada nas rádios brasileiras em 1978.

“Os embalo de sábado á noite” levou mais de 6 milhões de pessoas aos cinemas no Brasil, fazendo com que o filme ocupe, até ao momento, o 10ª lugar no ranking das maiores bilheterias do país.

Vamos ouvir e dançar ao som de “Night fever” com a cantora australiana Kylie Minogue, que fez um cover da música do Bee Gees em 2016, para o musical “Satruday Night Fever”, no natal de 2017. CONFIRA:

I want to break free - O clássico do Queen que se tornou uma das canções mais famosas da banda, especialmente no Brasil.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time30/04/2021 - 09:39

Brian May, Freddie Mercury, John Deacon e Roger Taylor, a formação clássica do Queen entrou na década de 80 sendo muito criticada pela mídia especializada por começar a adotar sintetizadores em suas músicas.

Mesmo passando por crises internas, a banda ainda gravou em 1984, o álbum “The works” incluindo uma canção que foi executada em praticamente todos os shows do Queen chamada: "I want to break free”.

"I want to break free" se tornou uma das canções mais famosas do queen, especialmente no Brasil.

A canção foi escrita pelo baixista john deacon. O tema principal da música está em seu título, ("eu quero me libertar").

Vamos ouvir "I want to break free" com a cantora inglesa Lisa Stansfield gravado ao vivo no “The Freddie Mercury Tribute”, em abril de 1992, no estádio de Wembley, na Inglaterra

O show foi uma homenagem a Freddie Mercury, que morreu do vírus HIV, seis meses antes do concerto. O evento foi transmitido ao vivo no rádio e TV para 76 países com uma audiência de até um bilhão de pessoas.

Os lucros do show foram usados para lançar o “The Mercury Phoenix Trust”, uma organização de caridade para a Aids. CONFIRA:

It's now or never - A canção que Elvis Presley gravou inspirado na língua napolitana da música “O sole mio”.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time29/04/2021 - 09:31

Elvis Presley um recordistas de emplacar clássicos imortais lançou em 1960, o single que seria o mais vendido de toda da sua carreira.

A canção que elvis gravou inspirado na língua napolitana da música “o sole mio” foi: "It's now or never".

"It's now or never" é considerada uma das canções mais populares do planeta.

No final dos anos 50, enquanto elvis estava servindo o exército americano, ele ouvia muito o tenor italiano Mario Lanza, que popularizou "O sole mio" para o público americano. Uma pena que Lanza morreu um ano antes de "It's now or never" ser gravado por Elvis Presley.

Vamos ouvir um cover deste clássico idêntico ao original gravado pelo californiano Chris Isaak. Ele é conhecido por seu estilo inspirado no rock and roll da década de 50.

Chris Isaak tem sido chamado de Roy Orbison dos anos 90, e muitas vezes também comparado ao próprio Elvis Presley. CONFIRA:

The sound off silence - O clássico de Simon & Garfunkel feita em homenagem ao presidente americano **John Kennedy**, assassinado em 1963.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time28/04/2021 - 09:21

Uma canção folk americana escrita por Paul Simon e gravada em 1964 pela famosa dupla Simon & Garfunkel se transformou num dos maiores clássicos de todos os tempos.

A música que muitos americanos afirmam que a letra foi feita em homenagem ao presidente americano John Kennedy, assassinado em 1963 chama-se "The sound off silence".

Quero mostrar uma versão cappella cantada pelo quinteto americano Pentetonix. Os cinco cantores dão um espetáculo de criatividade na colocação de suas distintas vozes com uma performance irrepreensível. CONFIRA:

Sobradinho - o clássico de Sá & Guarabira composta com o objetivo de protestar contra a construção de uma usina hidrelétrica no interior da Bahia.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time27/04/2021 - 09:15

Os percursores do rock rural, a dupla Sá & Guarabira formada em 1971 pelo carioca Luiz Carlos Sá e pelo baiano Gutemberg Guarabira lançaram em 1977, um de seus maiores sucessos composta com o objetivo de protestar contra a construção de uma usina hidrelétrica no interior da Bahia chamado: "Sobradinho".

“Sobradinho” é tido como um dos trabalhos mais autênticos da dupla, a canção abre o clássico disco “Pirão de peixe com pimenta”.

A Barragem de Sobradinho construída no Rio São Francisco deu origem a um imenso lago que inundou cidades que são citadas na música, expulsando da região seus moradores.

Sá & Guarabira utilizaram na composição a profecia de Antônio Conselheiro dizendo que “o sertão vai virar mar o e o mar irá virar sertão”. Isto para evidenciar os impactos ambientais causados pela construção do lago.

Vamos ouvir este clássico da nossa música com o grupo carioca Biquini Cavadão, gravado ao vivo no Rio de Janeiro, em 2001, no álbum "Um barzinho, um violão", um projeto da Universal Music com a participação de bandas famosas interpretando clássicos nacionais acompanhados apenas pelo som de um violão. CONFIRA:

The winner takes it all - o clássico do ABBA que foi escrita por Bjorn em um momento de profunda tristeza.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time26/04/2021 - 10:57

O grupo sueco ABBA que durou 10 anos, entre 1972 á 1982, lançou um de sues maiores sucessos em 1980, com uma canção que foi escrita em um momento de profunda tristeza.

A música sobre o fim do casamento, escrita por Bjorn marido da cantora Agnetha, para a própria esposa cantar enquanto os dois estavam se divorciando foi: "The winner takes it all".

“The winner takes it al l” entrou no álbum “Super Trouper” por acaso quando Bjorn entrou no estúdio com a letra pronta revelando que a música foi escrita em uma hora com uma garrafa de uísque em cima da mesa.

Björn revelou abertamente que a canção foi inspirada na sua separação com Agnetha que havia ocorrido no natal.

Em uma pesquisa de 2010, "The winner takes it all" foi eleita a música favorita do ABBA superando o clássico “Dancing queen”.

Vamos ouvir este clássico do ABBA com cantora e atriz americana Cher, lançando em 2018. Além do álbum, Cher esteve envolvida, em 2018 quando atuou no filme musical "Mamma Mia" cantando: "The winner takes it all". CONFIRA:

Sonífera ilha - o maior hit do Titãs escrita por Ciro Pessoa que acabou saindo da banda antes da gravação no disco de estreia em 1984.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time23/04/2021 - 10:50

Você sabia que “Sonífera ilha”, o maior hit da banda Titãs e que embala gerações por quase de 40 anos foi escrita pelo nono integrante do grupo, que acabou saindo da banda antes da gravação no disco de estreia em 1984.

O Titãs foi a banda do rock brasileiro com o estrondoso número de 8 integrantes, e iniciou seus trabalhos com um grupo ainda maior. Ciro Pessoa era o nono Titã e um dos fundadores do grupo, ele foi responsável pela composição de “Sonífera ilha” do maior hit do Titãs.

Ciro Pessoa, morreu o ano passado após contrair o Covid-19.

“Sonifera ilha” já tem cerca de quarenta versões gravadas em diversos ritmos diferentes.

Em 2020, o ex-Titãs Nando Reis comentou que "Sonífera ilha" era a única música que o público conhecia na época de seu lançamento e que por isso eles chegavam a tocá-la três vezes em seus shows.

Vamos ouvir este clássico ska do Titãs na versão bossa/jazz com a jovem atriz e cantora paulista Maria Luiza, que começou sua carreira tocando nos barzinhos de Floripa. Maria Luiza gravou “Sonífera ilha”, em 2015 no álbum "Pequena". CONFIRA:

Tiro ao álvaro -Frases bem-humoradas de Adoniran Barbosa com Demônios da Garoa e Arnaldo Antunes.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time22/04/2021 - 10:23

Em dezembro, de 1980, Elis Regina considerada á maior cantora da música brasileira de todos os tempos, lançou seu último álbum antes de sua morte contendo um samba em dueto com Adoniram Barbosa chamado: “Tiro ao álvaro”.

"Tiro ao álvaro" foi co-escrita por Adoniram Barbosa em 1960, mas foi censurada pela Ditadura Militar em sua tentativa de lançamento em 1973, por conter uma linguagem coloquial com erros de português que incomodou os militares.

Com essas frases bem-humoradas de Adoniran Barbosa vamos ouvir “Tiro ao álvaro” com os mestres do samba paulista Demônios da Garoa e a participação especial de Arnaldo Antunes ex-Titãs, gravado ao vivo no álbum "Vem cantar comigo" de 2015. CONFIRA:

My girl - Vamos ouvir este clássico dos anos 60 com Phil Collins.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time21/04/2021 - 10:15

Em dezembro, de 1964, uma canção gravada pelo grupo norte-americano The Temptations, figurou em primeiro lugar nas paradas de sucesso, na terra do Tio Sam.

A música que foi escrita e produzida por Smokey Robinson do grupo The Miracles inspirada em sua esposa foi: "My girl".

"My girl" é muito conhecida como trilha sonora do filme com o mesmo nome trazido para o brasil como "Meu primeiro amor" estrelado por Anna Chlumsky e Macaulay Culkin.

Vamos escutar este clássico dos anos 60 com Phil Collins, baterista, cantor, compositor, multi-instrumentista, produtor musical e ator britânico.

O músico gravou a canção, em 2004 no álbum duplo "Love songs", uma compilação de músicas autorais e releituras de clássicos românticos. CONFIRA:

A Hard day's night - Vamos ouvir mais um clássico dos Beatles na voz de Rita Lee.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time20/04/2021 - 10:06

A banda recordista de clássicos do nosso programa, The Beatles, emplacou mais um sucesso.

A canção que levou o nome homônimo do disco lançado, em 1964 foi “A Hard day's night”.

No brasil, o álbum e o filme foram lançados em 1965, pelo nome de "Os reis do iê, iê, iê" (expressão derivada no refrão da canção “She loves you”).

Este é o único álbum dos Beatles em que todas as músicas são de autoria da dupla Lennon e McCartney.

Vamos ouvir mais um clássico dos Beatles na voz de Rita Lee, que gravou em 2001, um álbum interpretando somente clássicos da banda britânica em versões adaptadas bem diferentes do original como esta releitura de “A hard day's night”. CONFIRA:

The time of my life - Vamos ouvir este clássico do cinema com o Black Eyed Peas.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time19/04/2021 - 09:59

Esta bela canção interpretada por Bill Medley e Jennifer Warnes além de ter sido premiada com o Oscar, recebeu um Grammy na categoria de melhor música já escrita especialmente para o cinema.

O filme foi o musical romântico “Dirty Dancing” lançado em 1987, estrelado por Patrick Swayze e Jennifer Grey. A canção que alavancou o álbum vendendo mais de 32 milhões de cópias em todo o mundo foi o clássico: “The time of my life".

“Dirty dancing” faturou mais de 217 milhões de dólares em todo o mundo e foi o primeiro filme a vender mais de um milhão de cópias em vídeo caseiro.

Vamos ouvir este clássico das telas com o Black Eyed Peas, um dos ícones do Hip Hop e da música eletrônica mundial formado em 1992, em Los Angeles – Califórnia.

O Black Eyed Peas estourou nas paradas e nas pistas com um remix de “The time off my life”, lançado em 2010. CONFIRA:

Cocaine - O clássico de autoria J J Cale talvez seja a música mais famosa na voz e na carreira do inglês Eric Clapton.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time16/04/2021 - 13:12

A canção "Cocaine", de autoria e gravada originalmente pela primeira vez em 1976, pelo nem tanto conhecido, porém igualmente respeitado músico J J Cale, talvez seja a música mais famosa na voz e na carreira do inglês Eric Clapton.

O autor de “Cocaine” o californiano J J Cale sempre foi um dos grandes amigos de Eric Clapton é um dos artistas mais respeitados no ramo musical, sobretudo no estilo country e blues.

Além de “Cocaine” clapton sempre gravou composições do amigo J J Cale, como "After midnight" e "Call me the breeze".

Vamos ouvir a clássica versão de “Eocaine’ com Eric Clapton, que reviu a promessa de não mais tocar a música nos shows ao vivo, alegando que a canção pode ser vista agora como uma música anti-drogas já lembrada de uma maneira positiva ao se ouvir a letra no seu primeiro verso.

Então, vamos com a famosa versão ao vivo de "Cocaine", do álbum "Just one night" gravado em Tóquio, em 1980, com Eric Clapton. CONFIRA:

Na rua, na chuva, na fazenda - Gravada e lançada por Hildon em seu álbum de 1975, com arranjos da banda Azymuth.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time15/04/2021 - 13:02

Apesar de muitos pensarem que este clássico se trata de um sucesso composto pela banda Kid Abelha, que gravou a música em 1996, a canção que também é conhecida pelo nome de “Casinha de sapê” é uma composição do cantor e compositor baiano Hyldon chamada: “Na rua, na chuva, na fazenda”.

“Na rua, na chuva, na fazenda” foi gravada e lançada por Hildon em seu álbum de 1975, com arranjos da banda Azymuth.

Como história da música, ele conta que na sua juventude, um certo dia, indo visitar sua mãe que morava em uma ilha, ele se encantou com uma bela jovem. Hyldon se apaixonou pela garota e foi passar o carnaval com os pais dela em uma fazenda numa pequena cidade que tinha um pequeno coreto de sapê, onde os dois namoravam com o tempo chuvoso.

Hildon juntou tudo, além da grande paixão, e compôs essa bela canção.

Bem, nem Hildon e nem Kid Abelha, vamos ouvir "Na rua, na chuva, na fazenda" com o carioca Frejat que gravou o clássico ao vivo em 2015, para o álbum de compilações Rock in Rio – 30 anos. CONFIRA: