Notícias em destaque

  Inverno: médico dá dicas para evitar problemas com a pele

commentJornalismo access_time02/08/2021 15:20

Tema foi abordado durante o programa Tudo a Ver com Karol Carvalho.

Abertura da oitava rodada da Série B inicia com vitória do Camboriú

commentEsporte access_time02/08/2021 09:43

Tubarão que representa o sul do estado na competição entra em campo na terça-feira (03)

Criciúma foca na Série C

commentCriciúma EC access_time02/08/2021 09:40

Tigre entra em campo na quarta-feira contra o Ituano

Blog Clássicos, com Everaldo Belada

Avohai - O clássico de Zé Ramalho escrito em homenagem ao seu avô.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time02/08/2021 - 13:27

Zé Ramalho, sem dúvida é e sempre será lembrado como um dos maiores nomes da Música Popular Brasileira.

Em 1978, Zé Ramalho lançou seu álbum de estreia com suas letras de difícil entendimento, sendo alvo de curiosidades e muito estudo.

Entre tantas canções visionárias, cheias de metáforas que ainda geram debates, Zé Ramalho abriu o disco com uma canção fazendo uma homenagem ao seu avô, chamada: “Avohai”.

Zé Ramalho foi criado por seu avô que o adotou quando seu pai morreu afogado, quando zé tinha apenas dois anos de idade.

Zé disse que a inspiração para a música veio após uma experiência com cogumelos alucinógenos na fazenda de uns amigos. Ele olhou para o céu e viu a sombra de uma gigantesca nave espacial, e uma voz disse em seu ouvido: "Avôhai".

Vamos ouvir este clássico da MPB com Zeca Baleiro, que gravou “Avohai”, em 2016, para o CD e DVD ao vivo, “Zeca canta Zé Ramalho, homenageando os 40 anos de carreira do artista paraibano. CONFIRA:

No woman, no cry - a canção reggae de Bob Marley mais regravada e aclamada da história.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time30/07/2021 - 13:21

Vamos ouvir Bob Marley e o clássico "No woman, no cry" a canção reggae mais regravada e aclamada da história.

"No woman, no cry" foi gravada em 1974, por Bob Marley e composta por Vicent Ford, seu amigo de infância, quando ambos estavam no pátio de casa, lembrando do passado, das rodas de violão e dos amigos que faleceram.

A música é uma contemplação às alegrias, tristezas e complexidades da vida pobre no gueto. A letra também se destaca por representar como personagem uma mulher, representando-as como vítimas da pobreza e da violência.

"No woman, no cry" uma experiência quase espiritual para muitos ouvintes, chegando a soar como um salmo.

Em 1979, o baiano Gilberto Gil fez uma versão da canção em português. Seu discurso acabou por se referir a todo um período de repressão no Brasil, através das prisões, torturas e mortes, como uma espécie de lamento pela perda dos amigos.

Vamos ouvir o clássico: “Não chore mais”. CONFIRA:

Boys don’t cry - O clássico gótico do The Cure na versão Bossa Jazz com Jamie Lancaster.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time29/07/2021 - 10:08

A banda de rock britânica The Cure lançou seu álbum de estreia em 1979, no reino unido com a canção “Boys don’t cry”.

A música é a mais representativa do rock gótico, movimento que surgiu na segunda metade dos anos 80.

A música foi lançada em 1979, mas nada aconteceu e só se tornou um clássico a partir de 1986, quando foi relançado por insistência de Robert Smith (líder e vocalista do The Cure). Ai sim “Boys don’t cry” explodiu no mundo todo.

A letra conta a história de um amor perdido e de um homem que desiste de tentar recuperar esse amor, disfarçando seu verdadeiro estado emocional.

Vamos ouvir este clássico do The Cure na versão bossa jazz gravado em 2000 por Jamie Lancaster para o álbum New York Séries, oferecendo o melhor da cena do jazz combinado com faixas pop dos anos 80

Ouça a leveza e suavidade nesta linda recriação de “Boys don’t cry”. CONFIRA:

More than a woman - O clássico do Bee Gees com a banda Foo Fighters liderada pelo ex-Nirvana Dave Grohl.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time28/07/2021 - 10:44

A beleza da música nos trazem estas surpresas.

A banda de rock americana Foo Fighters liderada pelo ex-Nirvana Dave Grohl acabou de lançar um álbum de covers com canções do icônico trio australiano Bee Gees.

O trabalho foi lançado na versão em disco de vinil. Barry Gibb, único integrante vivo do Bee Gees, expressou a sua emoção no twitter: se sentido muito orgulhoso.

Na verdade, fazer covers inusitados nos shows já não soa mais estranho para o Foo Fighters. Dave Grohl costuma sempre improvisar e relembrar clássicos atemporais em suas turnês.

Dave Grohl e seus companheiros provaram que são excelentes músicos e que podem transitar por outros gêneros com muito bom gosto.

Vamos ouvir com o Foo Fighters mais uma faixa do álbum tributo ao Bee Gees. A canção foi gravada originalmente em 1978, para a trilha sonora do filme "Os embalos de sábado à noite”: “More than a woman”. CONFIRA:

Mrs. Robinson - O clássico de Simon & Garfunkel escrito exclusivamente para o filme "A primeira vez de um homem".

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time27/07/2021 - 08:48

Em 1968, o músico norte-americano Paul Simon escreveu uma música exclusivamente para o filme – "A primeira vez de um homem" – estrelado pelo ator Dustin Hoffman.

O single que foi interpretado pela dupla Simon & Garfunkel e ficou em primeiro lugar na Billboard hot 100 por três semanas consecutivas foi: "Mrs. Robinson".

"Mrs. Robinson" rendeu dois Grammys para Simon & Garfunkel em 1968, nas categorias: melhor gravação do ano e melhor performance vocal do pop contemporâneo.

Vamos ouvir este lindo clássico com a banda americana Bon Jovi, lançado em 1995, no álbum "These day".

A canção foi gravada ao vivo e está apenas no disco bônus na edição especial Europeia. CONFIRA:

Everybody hurts - O clássico do REM que nos sensibiliza profundamente e nos enche de fé e esperança.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time26/07/2021 - 08:40

No Clássico de hoje, a Eldorado apresenta uma das canções mais tristes da banda americana REM. Mas com uma letra que nos sensibiliza profundamente e nos enche de fé e esperança.

Vamos ouvir “Everybody hurts”…

“Everybody hurts” foi lançada em 1992, e não emplacou nas paradas de sucessos. A música se tornou um clássico somente 18 anos mais tarde, em 2010, quando foi usada na campanha em prol das vítimas do terremoto Sismo, no Haiti.

“Everybody hurts” rapidamente alcançou o topo das paradas nos Estados Unidos e em toda Europa.

A canção ainda é utilizada em muitas campanhas filantrópicas passando uma mensagem de que não devemos desistir, mesmo, quando estamos no fundo do poço.

A Organização Britânica de Recolhimento de Royalties For Music realizou uma pesquisa e concluiu que “Everybody hurts” é a canção que mais faz os homens chorarem.

A música já foi regravada por artistas, como Paul Anka, Bonnie Tyller, Joe Cocker, Marillion, Patti Smith e vários outros.

Vamos ouvir e nos emocionar com versão da banda irlandesa The Corrs, composta pelas irmãs: Sharon, Caroline e Andrea. Ouça e sinta uma canção simples, mas que nos toca no fundo coração em “Everybody hurts”. CONFIRA:

A dois passos do paraíso - O humor no clássico da banda Blitz com Evandro Mesquita e Fernanda Abreu.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time23/07/2021 - 09:21

Os Anos 80 foi a década mais importante no surgimento de várias bandas do rock nacional com diferentes vertentes. No início de 1982, surgia no Rio de Janeiro, a banda Blitz começando assim a era New Wave no Brasil.

O humor da banda com Evandro Mesquita e Fernanda Abreu fazendo a linha de frente nos vocais, pavimentou o caminho para que surgisse o rock espontâneo de várias outras bandas.

Em 1983, a Blitz lançou o álbum "Radioatividade" com hits instantâneos e uma balada debochada com a célebre leitura de uma carta da "Mariposa apaxonada de Guadalupe" chamada “A dois passos do paraíso”.

“A dois passos do paraíso” foi sucesso imediato e o “caminhoneiro arlindo orlando” rodou o Brasil de ponta a ponta.

Hoje, a rádio Eldorado toca uma canção contando a linda história de amor da "mariposa apaixonada de Guadalupe" e seu noivo, Arlindo Orlando, o famoso caminhoneiro da pequena e pacata cidade de Miracema do Norte: “A dois passos do paraíso”, no arranjo sério, com voz da ex-integrante da Blitz Fernanda Abreu, gravado em 2006. Para o seu álbum MTV ao vivo. CONFIRA:

Guitar man - O clássico da banda americana Bread, gravada em 1972.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time22/07/2021 - 09:13

Vamos ouvir o clássico “Guitar man” da banda americana Bread, gravada em 1972. “Guitar man” foi composta por David Gates, líder da banda e chegou ao top das paradas americanas, permanecendo por várias semanas em primeiro lugar.

A canção é uma mistura de sons soft rock mas para a maioria dos ouvintes pode se dizer que é uma bela balada romântica. Nos anos 70, “Guitar man” era carta marcada nas rodadas de músicas lentas em qualquer baile ou festinha.

Vamos ouvir este clássico de David Gates com a banda californiana Cake, que gravou a canção em 2004.

Cake é uma banda frequentemente classificada como rock alternativo, mas combina vários gêneros como: soul, ska, pop, jazz, rap e até country.

Sinta o estilo peculiar no vocal de John Mccrea em "Guitar man". CONFIRA:

Era um garoto que como eu amava Os Beatles e os Rolling Stones - O clássico italiano que conseguiu atravessar gerações.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time21/07/2021 - 09:02

O clássico de hoje, conseguiu atravessar gerações. Originalmente composta nos anos 60, a música continua atual, reverenciando dois dos maiores nomes do rock mundial: Os Beatles e os Rolling Stones.

A versão original é de 1966, uma canção italiana cantada por Gianni Morandi, regravada em português um anos depois pela banda Os Incríveis chamada: “Era um garoto que como eu amava Os Beatles e os Rolling Stones”.

A canção conta a história de um jovem guitarrista que foi convocado para a Guerra do Vietnã e perdeu sua juventude, seu futuro como músico e sua vida na guerra.

Vamos ouvir a versão de 1990, recriada pela banda gaúcha Engenheiros do Hawaii que novamente estourou nas rádios do Brasil inteiro.

Vamos recordar o clássico “C'era un ragazzo che come me amava i Beatles i Rolling Stones” na visão pop dos Engenheiros do Hawaii. CONFIRA:

Goodbye yellow brick road - O clássico do Elton John que foi composta inspirada no filme "O Mágico de Oz".

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time20/07/2021 - 08:54

Um dos artistas mais bem sucedidos da história, que em sua carreira de cinco décadas já vendeu 300 milhões de discos, o londrino Elton John, lançou em 1973, seu sétimo disco, que está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll da Fama.

O clássico de Elton John que assina este lendário álbum duplo com uma das mais lindas melodias já feitas na história da música chama-se: "Goodbye yellow brick road".

"Goodbye yellow brick road" (Adeus estrada de tijolos amarelos) foi composta inspirada no filme (O Mágico de Oz), de 1939. No filme, Dorothy, interpretada pela atriz Judy Garland, é levada por um tornado do Kansas ao mundo mágico, seguindo a estrada de tijolos amarelos.

"Goodbye yellow brick road" é uma espécie de dossiê na carreira do cantor e pianista Elton John.

Vamos ouvir este lindo clássico com outro grande pianista, o americano Billy Joel, gravado ao vivo, em 1994, na turnê on "The river of dreams".

Billy Joel desliza por finos acordes habilmente interpretados por todos os instrumentos da banda, orquestra e backing vocals nessa jornada musical de "Goodbye yellow brick road". CONFIRA:

Reflections of my life - Desfrute de lembranças adormecidas em sua mente com este clássico do The Marmelade.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time19/07/2021 - 09:59

Olá amigos e ouvintes, o que nós da Eldorado queremos é criar emoções com canções que marcaram e trazem excelentes lembranças e bem estar à você amigo ouvinte.

Prepare-se para desfrutar de lembranças adormecidas em sua mente com clássico “Reflections of my life”. A pura verdade é que a música tem o poder de mexer com o nosso inconsciente e trazer de volta momentos nostálgicos.

“Reflections of my life”, foi gravada no final de 1969, pelo grupo escocês “The Marmelade”. A música está entre as 20 canções que mais foram usadas em trilhas sonoras de filmes e alcançou as paradas mundiais, principalmente no Brasil.

Vamos relembrar está obra do The Marmelade ao vivo, em 2009 com o vocal do próprio autor do clássico Dean Ford comemorando 40 anos do lançamento original de “Reflections of my life”. CONFIRA:

Halo - Uma das músicas mais impactantes da carreira de Beyoncé.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time16/07/2021 - 10:59

No mundo da música pop, é difícil achar alguém que nunca tenha ouvido falar de Beyoncé.

A cantora americana já ganhou 28 Grammys, vendeu mais de 100 milhões de álbuns e está no número 50 no ranking das mulheres mais poderosas do mundo.

Não é exagero dizer que Beyoncé é a artista mais importante da música pop no Século XXI. Em 2008, Beyoncé lançou como single de seu terceiro álbum, uma canção que foi escrita por Ryan Tedder, vocalista da banda Onerepublic chamada: “Halo”.

“Halo” é harmonizada sob elementos de R&B, gospel, soul e pop, e é uma das músicas mais impactantes da carreira de Beyoncé, tanto pelos belos vocais como pela letra: traduzido literalmente “Halo” para o português como auréola, aquela de um anjo.

Beyoncé possui sete singles que alcançaram o primeiro lugar na Billboard hot 100 e “Halo” é uma delas e fez enorme sucesso não só lá fora como também aqui no Brasil, sendo música tema da novela "Caminho das Índias".

Vamos ouvir “Halo” em uma versão remixada com o DJ e produtor norte americano Dave Audé, especialista em recriar grandes hits internacionais em batidas da House Music para não deixar ninguém parado. CONFIRA:

Breakfast in América - Em 1979 o Supertramp lançou o álbum homônimo que faturou dois prêmios Grammy.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time15/07/2021 - 10:50

Uma das bandas inglesas mais apaixonadas pelo público brasileiro é o Supertramp. O grupo começou com uma base vindo do rock progressivo e com raízes fincadas no blues e no jazz.

Em 1979 o Supertramp lançou o álbum homônimo “Breakfast in América” que emplacou vários sucessos e faturou dois prêmios Grammy: melhor álbum e melhor gravação do ano.

A canção foi escrita por Roger Hodgson e Rick Davis, e pode-se dizer que “Breakfast in América” foi o ápice de sonoridade que deixou a banda famosa mundialmente.

A canção é espirituosa, num tom intelectualmente leve, tendo na letra o bom humor, apoiado por saxofone e piano, uma das marcas registradas do Supertramp.

“Breakfast in América” é o álbum de maior vendagem da banda, na década de 1990, já tinha chego a mais de 18 milhões de cópias em todo o mundo.

Vamos ouvir a versão ao vivo de “Breakfast in América” com o Supertramp extraída do aclamado álbum duplo “Paris”, gravado no Pavillon de Paris, na França, em 1980. CONFIRA:

Oh, pretty woman - A canção de Roy Orbson que inspirou o filme "Uma linda mulher", em 1990.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time14/07/2021 - 10:41

O americano Roy Orbson, um dos cantores e compositores pioneiros do gênero Rock and Roll escreveu e gravou uma música, em 1964 que foi um grande sucesso mundial.

A canção que inspirou o filme "Uma linda mulher", em 1990, estrelado por Richard Gere e Julia Roberts, sendo o tema principal da trilha sonora foi: "Oh, pretty woman".

"Oh, pretty woman" tem várias interpretações covers e já foi premiada no Grammy e no Hall da Fama. Em 2009, o cantor Sílvio Brito compôs e lançou a primeira versão brasileira de "Oh, pretty woman".

A música também esteve presente na trilha sonora da novela "Uma rosa com amor" em 2010, sendo o tema de abertura.

Vamos ouvir este clássico do Rock and Roll ao vivo com Bruce Springsteen e John Fogerty (ex-vocalista do Creedence cCearwater Revival).

Os astros executaram "Oh, pretty woman", em 29 de outubro de 2010, no Madison Square Garden, em Nova York. CONFIRA:

We will rock you - Dia em que comemora-se o “Dia Mundial do Rock” também comemora-se o aniversário de um ano do programa Clássicos.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time13/07/2021 - 10:34

Excepcionalmente, hoje, 13 de julho, dia em que comemora-se o “Dia Mundial do Rock” também estou comemorando o aniversário de um ano do programa Clássicos com Everaldo Belada, aqui nas ondas da Rádio Eldorado.

Foram 240 canções inesquecíveis ao longo destes 12 meses que com certeza fazem a trilha sonora de muitos ouvintes.

O programa abriu sua pasta de Clássicos em 13 de julho de 2020, com a imortal “Have you ever seen the rain” do Creedence Clearwater Revival.

Hoje, para celebrar esta data em conjunto vamos ouvir um dos maiores sucessos do Queen: "We will rock you". O clássico foi escrito pelo guitarrista Brian May que arrepia nos últimos 30 segundos com um belo solo de guitarra.

A música é geralmente definida como a cappella usando apenas batidas de pé e palmas como uma batida de percussão corporal.

A canção se tornou um hino nos estádios em eventos esportivos em todo o mundo, devido principalmente ao seu ritmo simples de marcação como um grito de guerra das torcidas.

No clássicos de hoje, a eletrizante, a original versão de “We will rock you” com a banda britânica Queen. CONFIRA: